Apesar do resultado positivo, a Focus foi encerrada no início deste ano
Vote
Imprensa
Circulação paga em 2011
29 de fevereiro de 2012
 
Informação Geral


O Correio da Manhã mantém a liderança no ano de 2011 no segmento dos diários generalistas com uma média de circulação paga superior a 125 mil exemplares por edição. O título da Cofina é responsável por 44% do total de exemplares pagos do segmento. Face a 2010, a variação é pouco significativa.

O segundo lugar é para o Jornal de Notícias, da Controlinveste, apresentando uma média superior a 85 mil exemplares pagos por edição, o que significa um pequeno crescimento de 0,8%. Em conjunto, o Jornal de Notícias e o Correio da Manhã respondem por 74% da circulação paga dos diários de informação geral.

O Diário de Notícias é a publicação que obteve a subida mais significativa, o que lhe permite terminar o ano como o terceiro diário generalista nacional. Com um crescimento na ordem dos 16%, o diário da Controlinveste ultrapassa o Público e fixa a sua média acima dos 34 mil exemplares por edição.

O Público e o I Informação são os títulos que mais perderam exemplares pagos. O Público, da Sonaecom, caiu 2,6% para cerca de 33 mil exemplares. Já o I Informação, adquirido recentemente pelo empresário Manuel Cruz, acusa uma queda de 13,3%, fixando a sua circulação acima dos 8 mil exemplares.



Em relação ao segmento dos diários gratuitos, Destak e Metro diminuíram a circulação total face a 2010. Os dois títulos da Cofina repartem o mercado, com circulações médias pagas a rondar os 90 mil exemplares por dia.

 

Entre os títulos não diários, a primeira nota dirige-se para o crescimento de 12% da newsmagazine Focus, o que perfaz uma circulação média superior a 17 mil exemplares pagos. Apesar do resultado positivo, a publicação da Impala foi encerrada no início deste ano.

O semanário Sol protagoniza a maior descida (-21%), situando-se pouco acima dos 33 mil exemplares por edição, menos 9 mil que no ano anterior.

O Expresso, da Impresa Publishing, conserva a liderança entre os não diários, apesar de uma descida de 5% face a 2010. Trata-se do único título do segmento com uma circulação paga acima dos 100 mil exemplares.





Económicos

Os diários económicos registam quebras muito ligeiras comparativamente ao período homólogo. O OJE, da Megafin, que tem um preço simbólico de apenas um cêntimo, sofre um decréscimo de 8%, conservando todavia a liderança com uma circulação paga superior a 22 mil exemplares.

O Diário Económico, da Ongoing, ocupa o segundo lugar, apesar da queda de 5%. A circulação deste título está agora abaixo dos 15 mil exemplares pagos por edição.

O Jornal de Negócios (Cofina) mantém praticamente inalterada a sua circulação.



Na imprensa económica não diária, a revista Marketeer é a única que cresce em 2011. A circulação da revista da Multipublicações sobe 7% e supera agora os 14 mil exemplares mensais.

A maior queda pertence ao semanário Vida Económica, cuja circulação paga recua 11%, ficando abaixo dos 10 mil exemplares.

A revista mensal Exame continua líder do segmento. Todavia, evidencia uma redução de 9%, que se traduz num total abaixo dos 20 mil exemplares.





Comentários
Comente este artigo
Regras de Comentários
Agradecemos todos os comentários já que reforçam a qualidade do portal.
Pedimos que respeitem o código editorial, não utilizando linguagem que viole a lei ou a integridade dos demais.
O seu IP ficará na nossa base de dados sem que seja divulgado.
Home
MadeBy
Legislação
GateScope
mgate
Simulador
MissGate
WeeklyTv
Perfis
Notícias
Artigos
Eventos
Opinião
Publicações
TvGate
RadioGate
PressGate
OutGate
CineGate
APAP
DigitalGate
ICAP
APCT
APODEMO
Marktest
Obercom
API
APMP
GMCS
Criativos
APAN
APPM
ACEPI
MEDIAFONE